Pular para o conteúdo principal

Nostalgia tóxica

Eu não gosto da sensação de que antigamente era melhor. Principalmente com relacionamentos. O problema é que essa sensação parece me perseguir.

Eu entendo o medo de ficar sozinho.
Eu entendo o medo de não ser legal o suficiente.
Eu entendo o medo de ser rejeitado, de ser segunda opção.
Eu entendo o medo de expor os seus sentimentos e de se magoar ainda mais.
Eu entendo o medo de nunca ter alguém para estar do seu lado para sempre.
Afinal, mais cedo ou mais tarde todos os seus amigos somem.
E o tempo passa.
E as coisas ficam diferentes.
E parece que antes era melhor.
Só que o que era antes já mudou, e não serve mais.

Eu detesto sentir isso. Eu não quero me vitimizar, ou talvez eu queira, não importa. Só quero expressar umas coisas nesse blog da deepweb que espero que ninguém nunca leia.

Eu só queria ter um amigo que eu pudesse encontrar qualquer hora, e poderia ser na rua, em pé, sem nada pra comer. Estar junto, passar o ócio.

Queria ter alguém para conversar sobre sinestesia ou qualquer coisa diferente.

Por que eu fico magoado do nada com coisas que não fazem nem sentido? Eu achava que eu era maduro. Mas o meu coração não é. Eu não sei se um dia ele vai ser.

Eu não posso me deixar guiar pelo que sinto.

Talvez seja o fim das férias.

Vontade de assistir a um filme na Sessão da Tarde tomando Nescau, como se fosse 2002.

Naquele tempo eu não tinha amigos, mas a diferença é que eu não ligava.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha do livro O Peregrino

John Bunyan, autor de “O Peregrino” (“The Pilgrim Progress”), nascido na Inglaterra Central em uma família de funileiros, viveu uma época de intensas discussões acerca do Cristianismo, devido a reforma protestante. Em 1675, preso em uma cela por conduzir cultos sem autorização, escreveu este livro, que é considerado o segundo livro mais vendido no ocidente, sendo o primeiro a Bíblia Sagrada.

Segundo o autor, através de sonhos lhe foi revelada esta narrativa, a qual testifica ser revelada por Deus. Em uma liguagem bastante simples, o livro conta a história de Cristão. Este homem, vestido de trapos e carregando um enorme fardo, o qual adquiriu através da leitura de um livro (referência à Bíblia), decide iniciar uma longa viagem rumo à Cidade Celestial, com o objetivo de salvar-se do julgamento e da destruição que estariam por vir em sua cidade, a Cidade da Destruição.

Durante sua jornada, Cristão passa por muitos caminhos difíceis, como o Pântano da Desconfiança, o Desfiladeiro da Dificul…

Minha querida mesa de trabalho

Oh, até que é chique, tem até dois monitores 8-)


Minha mesa de ensino, meu computador educacional, e tem algumas ferramentas pedagógicas com as quais eu faço a manutenção didática dos computadores instrutivos.

Meu home studio

Um outro sonho que eu tenho realizado aos poucos é o de montar meu próprio estúdio em casa. Toco teclado desde os... dez anos? Sei lá, nem lembro mais. Eu sei que pelo tempo poderia ser bem melhor. Enfim, nunca priorizei e nem pretendo priorizar o estudo de música. Mas quando comecei a aprender um pouquinho de produção musical arranjamento (por conta mesmo), gostei mais ainda. É muito bom poder ouvir algo que você mesmo gravou/sequenciou, do jeitinho que você imaginou.
Então comecei a compor algumas canções (na grande maioria com sentido espiritual não vou usar o termo gospel porque gospel é um estilo). A maioria delas ainda não estão completas, faltando versos, arranjos, letra, enfim, uma bagunça. Mas acho que é assim mesmo, aos poucos vai sair alguma coisa um dia.
Bem, essa é a fase atual do meu homestudio:

Por enquanto é só uma escrivaninha com um notebook e algumas coisinhas. O projeto é o mais modesto possível, mas já dá pra brincar legal. Aí uma lista das coisas que comprei e m…