terça-feira, 30 de setembro de 2014

Sobre a faculdade

2018.
Oh, tão aguardado 2018.
E, isso se for em 2018.

Passa voando.
Mentira, tartarugas não voam.
Essa poesia está ficando ruim.

Eduardo e as meninas da faculdade

Olhou o perfil de todas mas não conversou com nenhuma.
Foi tomar um café na hora da pausa.
No reflexo em um vidro do carro, olhou e viu um rapaz sem atitude, de ombros curvados e, para ser sincero, nem cheirava bem.

No fundo, não importa. Eduardo não liga para essas coisas. Alguém liga? Dane-se o mundo e seu senso comum, onde todos os jovens, universitários ou não, tentam ser tão diferentes que acabam parecendo todos iguais.

Eduardo vai embora mais um dia. Ou menos um dia, como costuma dizer.

Ah, é. No caminho para casa, encontrou um político entregando "santinho", que bateu em seu ombro dizendo "Tamo junto nessa caminhada".
Afinal, alguém parece se importar com Eduardo.

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Breve reflexão

Às vezes eu paro e penso: quando é será que eu vou ter tempo para fazer aquilo que eu realmente gosto? Não que eu não goste do que eu faço, mas toda escolha exige privações, eu acho...
Só espero não ir procrastinando aquilo que há de melhor.

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Estou trocando o café por chá

Nobody Yes Door.

A propósito, mudei o tema do blog. É, e eu fiz o cabeçalho no Paint (minimalismo e flat design são legais [eu não entendo nada de design {usar chaves, colchetes e parênteses é legal}]).

Compilado sem erros.
Desculpa por tudo.

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Resenha do livro O Peregrino


John Bunyan, autor de “O Peregrino” (“The Pilgrim Progress”), nascido na Inglaterra Central em uma família de funileiros, viveu uma época de intensas discussões acerca do Cristianismo, devido a reforma protestante. Em 1675, preso em uma cela por conduzir cultos sem autorização, escreveu este livro, que é considerado o segundo livro mais vendido no ocidente, sendo o primeiro a Bíblia Sagrada.

Segundo o autor, através de sonhos lhe foi revelada esta narrativa, a qual testifica ser revelada por Deus. Em uma liguagem bastante simples, o livro conta a história de Cristão. Este homem, vestido de trapos e carregando um enorme fardo, o qual adquiriu através da leitura de um livro (referência à Bíblia), decide iniciar uma longa viagem rumo à Cidade Celestial, com o objetivo de salvar-se do julgamento e da destruição que estariam por vir em sua cidade, a Cidade da Destruição.

Durante sua jornada, Cristão passa por muitos caminhos difíceis, como o Pântano da Desconfiança, o Desfiladeiro da Dificuldade ou o Vale da Sombra da Morte. Também teve que lutar contra demônios, gigantes e dragões. No entanto, também teve experiências prazerosas e pode encontrar com personagens que tornaram a caminhada mais fácil, como os amigos Evangelista, Fiel e Esperançoso.

Os nomes das personagens, assim como os locais onde passara, são analogias a virtudes, comportamentos e sentimentos humanos, personificados de modo a dar corpo a diversos estados da consciência humana.

Durante a narrativa, as analogias e comparações com a Bíblia são visíveis, descortinando a trama através de referências diretas e indiretas a textos bíblicos, seja através dos nomes dos personagens e locais por onde o personagem principal passa, ou por situações representadas, que no enredo se desenvolve através de uma empolgante aventura.

Na minha opinião pessoal, o livro é bastante empolgante e sua leitura é muito prazerosa. Sua linguagem simples cativa o leitor e o leva a entender ensinamentos bíblicos que são base do Cristianismo protestante até os dias de hoje. Indicado para cristãos e não-cristãos que tem interesse em aprender mais sobre o Cristianismo de uma maneira leve e bastante didática.