segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Feliz vinte e nove de dezembro!

Muitas felicidades!


Além disso, o ano foi um ano difícil, eu acho. Esperamos que as esperanças que se esperam em 2015 sejam esperançosas, como se espera afinal.
Mais que esperar, vamos também fazer. Na medida que o Espírito Santo nos mover. E na medida que nos deixarmos ser movidos. E é só esse o plano.

Saudades do meu querido Roberto Bolaños. E do orkut também. Saudades da época em que o Brasil era o país do futebol. Na verdade, essa última nem.
E, graças a Deus, estamos sobrevivendo, e, mais que isso, vivendo também. Sobretudo.

Confiro-lhe o grau de sobrevivente. Aproveite e carpa o dia.

E ainda não li "Reborn to be wild".
Estou de férias e sem carro, então devo postar algo legal algum dia.

Abraços.

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

O grande desafio da TI

É que precisamos sempre ser inovadores, mas ao mesmo tempo precisamos ser bem conservadores em algumas situações.

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Sobre a faculdade

2018.
Oh, tão aguardado 2018.
E, isso se for em 2018.

Passa voando.
Mentira, tartarugas não voam.
Essa poesia está ficando ruim.

Eduardo e as meninas da faculdade

Olhou o perfil de todas mas não conversou com nenhuma.
Foi tomar um café na hora da pausa.
No reflexo em um vidro do carro, olhou e viu um rapaz sem atitude, de ombros curvados e, para ser sincero, nem cheirava bem.

No fundo, não importa. Eduardo não liga para essas coisas. Alguém liga? Dane-se o mundo e seu senso comum, onde todos os jovens, universitários ou não, tentam ser tão diferentes que acabam parecendo todos iguais.

Eduardo vai embora mais um dia. Ou menos um dia, como costuma dizer.

Ah, é. No caminho para casa, encontrou um político entregando "santinho", que bateu em seu ombro dizendo "Tamo junto nessa caminhada".
Afinal, alguém parece se importar com Eduardo.

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Breve reflexão

Às vezes eu paro e penso: quando é será que eu vou ter tempo para fazer aquilo que eu realmente gosto? Não que eu não goste do que eu faço, mas toda escolha exige privações, eu acho...
Só espero não ir procrastinando aquilo que há de melhor.

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Estou trocando o café por chá

Nobody Yes Door.

A propósito, mudei o tema do blog. É, e eu fiz o cabeçalho no Paint (minimalismo e flat design são legais [eu não entendo nada de design {usar chaves, colchetes e parênteses é legal}]).

Compilado sem erros.
Desculpa por tudo.

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Resenha do livro O Peregrino


John Bunyan, autor de “O Peregrino” (“The Pilgrim Progress”), nascido na Inglaterra Central em uma família de funileiros, viveu uma época de intensas discussões acerca do Cristianismo, devido a reforma protestante. Em 1675, preso em uma cela por conduzir cultos sem autorização, escreveu este livro, que é considerado o segundo livro mais vendido no ocidente, sendo o primeiro a Bíblia Sagrada.

Segundo o autor, através de sonhos lhe foi revelada esta narrativa, a qual testifica ser revelada por Deus. Em uma liguagem bastante simples, o livro conta a história de Cristão. Este homem, vestido de trapos e carregando um enorme fardo, o qual adquiriu através da leitura de um livro (referência à Bíblia), decide iniciar uma longa viagem rumo à Cidade Celestial, com o objetivo de salvar-se do julgamento e da destruição que estariam por vir em sua cidade, a Cidade da Destruição.

Durante sua jornada, Cristão passa por muitos caminhos difíceis, como o Pântano da Desconfiança, o Desfiladeiro da Dificuldade ou o Vale da Sombra da Morte. Também teve que lutar contra demônios, gigantes e dragões. No entanto, também teve experiências prazerosas e pode encontrar com personagens que tornaram a caminhada mais fácil, como os amigos Evangelista, Fiel e Esperançoso.

Os nomes das personagens, assim como os locais onde passara, são analogias a virtudes, comportamentos e sentimentos humanos, personificados de modo a dar corpo a diversos estados da consciência humana.

Durante a narrativa, as analogias e comparações com a Bíblia são visíveis, descortinando a trama através de referências diretas e indiretas a textos bíblicos, seja através dos nomes dos personagens e locais por onde o personagem principal passa, ou por situações representadas, que no enredo se desenvolve através de uma empolgante aventura.

Na minha opinião pessoal, o livro é bastante empolgante e sua leitura é muito prazerosa. Sua linguagem simples cativa o leitor e o leva a entender ensinamentos bíblicos que são base do Cristianismo protestante até os dias de hoje. Indicado para cristãos e não-cristãos que tem interesse em aprender mais sobre o Cristianismo de uma maneira leve e bastante didática.

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Ensaiando meu discurso para daqui a dez anos

"Essa geração quer tudo de mão beijada, não sabe o que é sofrer para conseguir as coisas."

Talvez nem demore dez anos.

domingo, 20 de julho de 2014

Eduardo e a moça do caixa 4

Sábado à tarde. Eduardo, na fila do caixa do semi-grande supermercado da pequena cidade, encontra um pequeno momento de observações gerais. Olha ao redor, o ambiente, as placas, as pessoas com seus rostos inexpressivos. Há também um adolescente que parece digitar algo na tela do celular. Eduardo passa para a frente da fila, e, sendo chamado no caixa 4, aproxima-se prontamente. Coloca sua latinha de batata chips sobre a mesa da operadora de caixa. Esta, solícita, pergunta:
-- Tem cartão de pontos?
-- Não tenho -- diz Eduardo, de maneira quase que cantada e esboçando um sorriso, procurando ser simpático. Típico dos tímidos.
"Ela é linda", pensa ele, observando a maneira que a jovem de olhos castanhos passa delicadamente o produto no leitor de código de barras. Eduardo olha para suas mãos. Não, não há nenhuma aliança em seus dedos.
-- Cinco e noventa e cinco.
Eduardo mostra o cartão que tirara do bolso.
-- Crédito.
-- Pode inserir o cartão... Pode digitar a senha.
Eduardo digita a senha do cartão. Pensa em como quem sabe um dia, em uma vida paralela, poderia chamá-la para sair, quem sabe passear um pouco e se conhecerem melhor. Pensa em como a pediria em casamento alguns anos mais tarde, e como teria uma família imperfeita e feliz. Pensa na maneira que passariam acordados para atender do filhinho que está com febre, e como passariam seus dias...
-- Pode retirar o cartão.
Eduardo pisca forte os olhos como que acordando de uma fração de sonho que teve acordado.
-- Obrigada, boa tarde e ótimo fim de semana -- diz a moça, esboçando um discreto sorriso.
-- Obrigado, pra você também. -- diz ele, pegando a lata de batatas com uma da mãos, enquanto pega o cupom fiscal com a outra.
"Ótimo final de semana... Ela disse ótimo final de semana...", pensa Eduardo enquanto dirige-se para a saída. Eduardo olha para o cupom fiscal, e, procurando no final da nota, encontra "Você foi atendido por: Priscila".
"Priscila...", balbucia Eduardo.

Eduardo nunca mais viu Priscila.

Nota do autor: Eduardo não me representa. Pra ser sincero, acho que temos alguma coisa em comum.

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Férias

Férias do trabalho, férias da faculdade...
Agora eu tenho tempo, só falta dinheiro...

Mas não estou reclamando. Graças a Deus deu certinho pra pagar a rematrícula. Mas eu bem que queria trocar a forração do quarto, comprar um notebook e um smartphone novos da Apple, e uma mesa nova pro meu home office/studio, e terminar de pagar o carro, e trocar o guarda-roupa e a cama por outros mais novos, na cor branca, pra combinar com o forro em PVC que eu vou colocar, um monitor maior pro meu computador, também com um kit de mouse e teclado sem fios...
E por aí vai.

Aquele momento que você tem vontade de ter as coisas. Não é sempre.

terça-feira, 8 de julho de 2014

Ick fahr so uff der Autobahn

Não posso deixar de escrever sobre o treino jogo da Alemanha.
Pensando bem, claro que posso. Mas eu quero falar dos que mamam que eu tive uma oportunidade legal de refletir sobre algo:
Aprendi que na vida, como no esporte, precisamos aprender a ter frieza.
Frieza. Os alemães sabem o que é isso. Os brasileiros não.
Muitas vezes nós temos que deixar nossas emoções de lado para que possamos analisar aquilo que se encontra em nossa frente de maneira racional. As emoções nos atrapalham muitas vezes, e estamos sempre nos aprisionando à elas. E o pior é que gostamos disso e achamos tudo isso muito divertido.

A propósito, curiosidades sobre a Alemanha (ou não):

  • Deixe, nós temos moeda própria e salário mínimo. Ah, e nossos bosques têm mais flores!
  • Arautos do Rei é melhor que Kraftwerk.
  • E a Leson é melhor que a Sennheiser! (quê?!)
  • Os Simpsons sabiam de tudo.
  • E pude comprar um livro com 70% de desconto naquela loja que ofereceu 10% de desconto por cada gol que o Brasil levasse (o nome do livro é Manual de Sobrevivência dos Tímidos).
  • Além disso, no ranking da educação, ganhamos de 35 a 6!
  • No fim, prefiro o Pacífico e a Pazza. E com lápis roxo!
  • A Alemanha só ganhou porque o Brasil não tem tradição de futebol.


Um minuto de silêncio pela morte do Plínio :(

#vivaobrasil!

quinta-feira, 3 de julho de 2014

quarta-feira, 25 de junho de 2014

domingo, 22 de junho de 2014

Meu blog está abrindo com fonte Comic Sans

Argh! Dá um F5 pra ver se carrega a fonte direito.
Agora um recado para a Comic Sans:
Comic Sans, já passou o teu tempo, todo mundo já lhe usou e abusou. Agora você me dá agonia.

Sem mais, poderia contar a incrível história de Rafael Salgueiroza no reino do centro de Lages à procura de um par de pantufas (foi uma grande aventura, mas não quero escrever sobre isto agora).

terça-feira, 17 de junho de 2014

Faculdade

Você faz todo o ensino fundamental, depois o ensino médio, chega na faculdade e daí começa a refletir que algumas coisas não mudam nunca. Tipo, às vezes eu me sinto como se estivesse na primeira série. Enfim, da hora a vida.

segunda-feira, 16 de junho de 2014

Essa semana

Essa semana ou a gente faz render ou se joga nas cordas. Eu estou disposto a tentar fazer render.

quarta-feira, 14 de maio de 2014

Parapseudomusicagospelagem

Quem te viu passar na prova e não te ajudou,
A essas horas já nem lembra mais quem é você.


sábado, 3 de maio de 2014

Eu, lírico.

Talvez eu seja criança demais
Ou talvez eu seja velho demais
Talvez eu seja tímido demais
Ou talvez eu só seja discreto demais

Talvez eu seja lento demais
Talvez eu seja sem atitude
Talvez eu não seja o que deveria ser
Ou melhor, talvez eu não devesse ser o que eu não sou.

Milhões de linhas de pseudopoesia não escritas.

sábado, 19 de abril de 2014

Eu não sou um comedor de alface.

"Vai ter uma saladinha pra você" não é uma frase engraçada para um vegetariano.

Meio random, eu sei.

sexta-feira, 11 de abril de 2014

quinta-feira, 3 de abril de 2014

Pra ser sincero...

Gostaria de gastar meu tempo com algumas atividades criativas.
Mas eu não tenho tempo. Preciso estar no trabalho, e preciso estar na faculdade (e eu não consigo ser criativo nestas situações).
Preciso dormir também, mas quando estou muito cansado, não tenho tempo nem pra sonhar.
Taí uma sensação que eu não me lembro de ter sentido: a sensação de estar em algum lugar, desejando não estar, tipo, forçado. Não é lá muito legal, mas não vou fazer drama. Não é tão ruim, afinal. Nem tudo é como a gente gosta todo o tempo.
E eu gostaria de ter mais tempo para mim, para dormir, para ir à igreja, para ler, para fazer música ou desenhar, sei lá. Ando meio estressado, mas por dentro. Não aquele tipo de stress que você mete as patas em todo mundo, é algo mais íntimo.

Fundamentos Matemáticos para Computação

E por falar na faculdade, está tudo certo. Estou me reanalizando em relação às demais pessoas e vejo como eu sou estranho, na minha demora para me relacionar com os demais. Normal isso, eu acho que vou ter alguns bons amigos até o final do curso, com certeza. Mas vamos com calma. Pessoas...

Chega desse assunto. Estou com sono.

Ah, é. Encontrei uma bandinha secular que achei legal. É de Curitiba, chama-se A Banda Mais Bonita da Cidade. Eles gravaram um disco de vinil (hein?) e tem uns álbuns que estão à venda em CD, no iTunes, ou... você pode baixar de graça também direto do site (hein?). Legal isso.


quarta-feira, 26 de março de 2014

domingo, 23 de março de 2014

Super Mario RPG Guitar Medley

Uma das melhores trilhas sonoras.

Eu não sou muito de jogar joguinhos eletrônicos. Faz muito tempo que não jogo algo para valer, afinal, sempre me ocorrem coisas mais "úteis" para fazer. Mas se tem algo que me motiva a jogar é uma boa trilha sonora.
Super Mario RPG é assim. Afinal, todos os jogos do Mario têm excelentes trilhas.
Gostaria de compartilhar brevemente esse artista que gravou uns arranjos das composições. Enjoy.

Ademais, bem-vindo, outono! :3


sexta-feira, 21 de março de 2014

Primeiras impressões da faculdade

É, sou um calouro universitário agora.
Algumas coisas são como eu imaginava. Outras não, são melhores. Outras deixam a desejar.

Enfim, já imaginava que não adiantava imaginar muito. Mas é legal.

A primeiríssima impressão que tive foi que é muito cansativo. Trabalhar oito horas por dia e ainda ir pra faculdade à noite cansa bastante. E não tenho tempo para mais nada. Isso que não começaram a pedir trabalhos e outras coisas. Mas, conforme o tempo está passando (já estou estudando há um pouco mais que uma semana), parece que a gente já vai pegando o ritmo.

Outra impressão que talvez eu venha desmistificar mais tarde, é que o povo lá parece que pensa muito em bebida, o que eu acho chato. Talvez seja implicância de crente, eu não gosto nem do assunto "álcool" e acho ridículo as pessoas que ficam falando disso. Mas eu tenho quase certeza que ainda vou ver que são só alguns.

O pessoal da minha turma parece bem legal. Às vezes conversam um pouco demais. É que tem bastante gente que veio direto do ensino médio pra faculdade, e, sem querer discriminar, tem gente que ainda não entendeu que está na faculdade. Ficam com conversinhas paralelas e não deixam a gente dormir direito prestar atenção na aula. Mas tirando isso, o pessoal em geral parece muito legal, e são bem rápidos para se entrosarem. É bom que seja assim, eu acho.

No mais, parece que a universidade é bem organizada. A gente vai assinar um contrato com cada professor, e este deve deixar claro o que é permitido em suas aulas, o que será cobrado e como serão as questões didático-pedagógicas. Sei lá o que é didático-pedagógicas, mas acho que define bem. Coisas como chegadas tardias, horário de chamada e pausa, etc. Eu achei que iria usar notebook direto nas aulas. Na verdade eu preferiria assim (Evernote ♥), mas a maioria dos professores não... incentiva isto, mas não coíbe se for com intuito didático.

Ah, é. Graças a Deus estou indo de carro. Estou até levando uns amigos de carona sempre que possível, mas uma outra coisa que descobri é que o trânsito é cansativo tanto para sair mas principalmente para chegar à universidade. Normal., na verdade tem que agradecer a Deus porque eu acho que de ônibus seria pior.

Bem, já tenho aprendido algumas coisas, mas a disciplina mais empolgante é a de Algoritmos, tanto pelo conteúdo como pelo professor. Mas todas as disciplinas são legais, eu acho. Espero não vir a me contradizer nisto.

Não sei como fazer um parágrafo para concluir.

♪ Are you sure... You wanna hear more...  ♫ Conhece essa, Ana?

Parafraseando Boris Casoy

Dois técnicos de suporte... Do alto dos seus alicates de crimpar, desejando felicidades.
Dois técnicos de suporte.... O mais baixo da escala de trabalho...

E por aí vai...
Agora, se fossem programadores... Pfff.
Eu gosto do suporte, um bom suporte é tão difícil quanto um bom programador.


Ah, não vou citar a fonte da imagem.



(What?)

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Forrest Gump bus scene

I do remember the first time I've heard sweetest voice in the wide world...
:3

Se for para tomar algo como exemplo...

Tenha como exemplo a regra, não a exceção.
Por exemplo, milhões de pessoas jogam na loteria, e as pessoas insistem em se espelhar nos poucos que ganham.

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Estou animado! (2)

A viagem foi uma bênção. Ficamos muito felizes ao sermos recebidos por uma pequena igreja local. Ficamos na casa da irmã Gina, que além de morar há apenas alguns metros da igreja, nos hospedou muito bem. Houve um mover de Deus maravilhoso naquele local, e Deus nos deu a graça a mim e à irmã Estela de ministrar um estudo no domingo pela manhã, que foi maravilhoso. Posso dizer que foi maravilhoso, já que não é para me engrandecer, mas ao Senhor.

Chegamos sábado, próximo do meio-dia, e houve culto à noite, domingo pela manhã. Almoçamos domingo na igreja e outro culto à tarde. Então retornamos às seis da tarde de domingo. Valeu a pena a viagem de seis horas para ir e cinco horas e meia para voltar. Não me pergunte por que a volta demorou menos, isso que a volta era subida, mas enfim... A viagem nem foi muito cansativa, eu mesmo nem consegui dormir.

Mas o importante é o renovo que Deus nos deu naquele lugar. E foi a primeira vez que viajei a trabalho, mas um trabalho espiritual, e isso é maravilhoso. Eu tinha e ainda tenho vontade de sair, mesmo que de vez em quando, conhecer pessoas novas as quais nos dê oportunidade de pregar o evangelho, para glória de Deus, e que possamos cultuá-Lo juntos.

Pena que fomos somente eu, o irmão Antônio, a Estela e a Vone. Gostaria que fosse a nossa banda inteira para louvar, mas isso não foi possível. Quem sabe na próxima ;)



sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Estou animado!

Vou viajar. Sim, é algo que não é comum. Mas estou indo para Acapulco Charqueadas, RS. É a terra da mãe do Eduardo, que é líder de jovens na igreja que congrego. Não conheço aquele lugar, nem a igreja de lá, nem nada. Estou indo meio pela fé, isso que é legal, não sei onde vamos ficar, nem nada e isso me deixa bem animado!
Lá haverá um congresso, depois eu conto como foi. Mas agora preciso tomar banho e dormir.

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Sexta-feira

Os grilos...
Os automóveis ao longe...
Os bêbados gritando no bar da esquina...
O vento assobiando na chaminé da vizinha...
Ouvi, bem ouvido, da vidraça da varanda, os sons dos assassinatos.
No relógio, o tic-tac intermitente tá me tonteando!
Já passou das duas...
E por que o tempo,
Passa assim tão lento,
Forte como o vento?

Vento -- que passa lá fora
Tempo -- que insiste a demora
Sento -- vejo a própria sola
Lembro -- do mal que me assola
Tento -- apagar a memória
Sinto -- que minha alma chora

Ouvidos atentos:
Ora choram e ora oram
Olho na janela e nas gotas derramadas da chuva...
Te vejo.

Primeiro: pedi permissão pra poder parar e privar-me do pranto
Segundo: num surto soube suplicar sabiamente, sabendo que seria saciada
Terceiro: também tardiamente tentei trazer tantas tragédias...
Quarto: me aquietei
No quarto me calei
Minha alma chorou até que orou e parou...

Tic... Tac...
Cochilei e acordei em um baque
Ouço os passos na calçada
Só pode ser ele, eu fico ressabiada
Agora eu acerto: está chegando perto!

Chegou!...
A maçaneta se abre, a porta range, o molho de chaves tintila...
E ele entra, pé por pé...
Com todo o cuidado, para não me acordar.

O som dos teus passos é que me acalanta, ô anta!
Por acaso pensas que eu estava dormindo, enquanto estavas lá fora?!

Bendita oração...
Aliás, que horas são?
Ah! Deixa pra lá
O agora é agora.

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Correio Lageano andou assistindo meu poop video do João Amorim

Estava fazendo uma pesquisa para ver se meu primeiro e único poop no Youtube estava famoso mesmo. O vídeo se chama YTPBR João Amorim - Jango Bocha. Só que o nome do filme original é Jango Bravo.
Qual não foi minha surpresa, quando encontro, entre os resultados, uma página que faz uma espécie de homenagem ao mestre do cinema regional, e, na filmografia do cineasta, o filme "Jango Bocha". Só que este é o nome do meu vídeo, não o filme original (que se chama Jango Bravo). Hahahaha... Que massa.

Não haveria outra forma deles se confundirem. Com certeza andaram vendo meu vídeo...

Parece que o meu vídeo está ficando famoso. Além de que, já alguns fãs e poopers pediram para eu postar o filme original algumas vezes.

Obs.: O poop não ficou bom. Enfim, só existe este com este filme.



Matéria do CL (por Suzani Rovaris): http://www.clmais.com.br/variedades/64224/lenda-do-cinema-catarinense-transforma-cotidiano-em-filme



Bem, como eu já havia dito uma vez, Youtube Poop é cultura!

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Questionamentos de Eduardo em sábado para domingo

 – A casa dela tem um símbolo maçônico na porta… Será que o pai dela é maçom? Eu não conheço os pais dela, para ser sincero – Pensava Eduardo, em um interno e lento monólogo. Já havia passado da meia-noite. Deitado sob a luz de um abajur, Eduardo tentava ler seu livro de cabeceira, no entanto as palavras do livro pareciam se diluir em meio a uma avalanche de pensamentos.

– Ela parece ter um ar de mistério. Mas talvez eu pense isso porque não a conheço bem, ainda. Mas talvez ela nem goste de mim. Talvez… Talvez eu a devesse convidar para sair, sei lá… Ah, nada a ver! Ela não aceitaria. E eu não sei como me sentiria. Talvez seja melhor só fingir que ela gosta de mim… Talvez…

Era férias e estava fazendo muito calor, mesmo à noite. O que não era comum naquela cidade fria no interior. Ao fundo, pouco se poderia ouvir, se não um grilo ou um sapo vagando em meio à claridade da lua cheia.

– Eu era apaixonado por ela no tempo da escola. Mas agora é outro tempo, muita coisa mudou. Mas eu ainda gosto dela. Ah! A quem estou tentando enganar? Estou apaixonado. Ainda… Igualzinho na primeira série. Mas nem sei se ela lembra direito de mim. Quem sabe ela também está pensando em mim? Tipo, essa hora, enquanto estou aqui, ela lá? Ora, argh! Eu sou como um cachorro na porta do supermercado!

Nesse momento da narrativa, o autor que vos escreve percebe que o parágrafo está muito grande e, usando uma figura de linguagem, resolve pular para a linha de baixo e prosseguir.

– Será que ela aprecia quando eu me disponho a ajudar, tipo, quando ela me pede ajuda? Mas talvez ela também tenta se aproximar de mim? Ou é só porque ela precisa de ajuda algumas vezes mesmo. Talvez…

Da outra direção, um silêncio ensurdecedor responde com mais dúvidas a todas as perguntas. Deitado de bruços sobre a cama, com um lençol mal estendido sobre o corpo, Eduardo sussurrou uma pequena oração a Deus, e chorou. Não sei se devo mencionar que Eduardo era ateu, acho que não vem ao caso.


Aquela noite foi longa para Eduardo. Talvez fosse melhor só dormir. Talvez…

quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

Forrest Gump

Hoje fiz a assinatura da Netflix, por recomendação do Andrino.
Eu fui entregar o computador dele hoje e ele me mostrou como é legal e barato. Dá para assistir milhares de filmes e seriados indeterminadamente, e paga muito barato por mês.
Para testar, eu assisti Forrest Gump. Foi o primeiro filme que assisti inteiro no serviço, e deve ser a quarta ou quinta vez que eu assisto.

Cada vez que eu assisto, tenho uma leitura diferente e também sensações diferentes. Na verdade eu não sabia que minhas glândulas lacrimais tinham espaço para tantas lágrimas. Não quero fazer uma crítica do filme, levaria horas e eu não conseguiria escrever tudo que gostaria.

Eu nunca vi um filme tão completo. Retrata a vida de uma maneira tão íntima... Dá vontade de rir e vontade de chorar, medo e conforto, tudo, em um só lugar. Dá para entender cada sentimento. A vontade de correr para longe a fim de "colocar o passado para trás", a inocência e a pureza, o amor insistente e além das diferenças ♥, etc, etc, etc.

Ah, e é muito apaixonante também. Ah! Onde está a minha Jenny?... Mas isso eu falo outra hora.

Alt+3

Um dia eu saio correndo como ele.

Chega. Não, péra. Feliz ano novo!