Pular para o conteúdo principal

Quanto vale o show?

Quanto vale a vida, se vivida de aparência?
Quanto vale o like, quando está acima da decência?
Quanto vale Deus se reduzido a uma postagem?
Quanto vale o tempo, se é pra digerir tanta bobagem?

Quanto vale a vida, se reduzida a uma tela?
Quanto vale a sua nova série, sua novela?
Quanto vale o amei na sua nova foto de perfil?
Quanto vale o seu textão sobre a política no Brasil?

Quanto vale cada mensagem de feliz aniversário?
Quanto vale cada curtida no seu comentário?
Quanto vale o bitcoin num mundo em que se passa fome?
Quanto vale o show de depressão no seu smartphone?

Em tempo de aparência, o que é raro é a profundidade.
Em tempo de maldade, o que é raro é a bondade
Eu fico com o rei que escreveu Eclesiastes,
Pois tudo que se vê em todo canto é vaidade.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha do livro O Peregrino

John Bunyan, autor de “O Peregrino” (“The Pilgrim Progress”), nascido na Inglaterra Central em uma família de funileiros, viveu uma época de intensas discussões acerca do Cristianismo, devido a reforma protestante. Em 1675, preso em uma cela por conduzir cultos sem autorização, escreveu este livro, que é considerado o segundo livro mais vendido no ocidente, sendo o primeiro a Bíblia Sagrada.

Segundo o autor, através de sonhos lhe foi revelada esta narrativa, a qual testifica ser revelada por Deus. Em uma liguagem bastante simples, o livro conta a história de Cristão. Este homem, vestido de trapos e carregando um enorme fardo, o qual adquiriu através da leitura de um livro (referência à Bíblia), decide iniciar uma longa viagem rumo à Cidade Celestial, com o objetivo de salvar-se do julgamento e da destruição que estariam por vir em sua cidade, a Cidade da Destruição.

Durante sua jornada, Cristão passa por muitos caminhos difíceis, como o Pântano da Desconfiança, o Desfiladeiro da Dificul…

Meu home studio

Um outro sonho que eu tenho realizado aos poucos é o de montar meu próprio estúdio em casa. Toco teclado desde os... dez anos? Sei lá, nem lembro mais. Eu sei que pelo tempo poderia ser bem melhor. Enfim, nunca priorizei e nem pretendo priorizar o estudo de música. Mas quando comecei a aprender um pouquinho de produção musical arranjamento (por conta mesmo), gostei mais ainda. É muito bom poder ouvir algo que você mesmo gravou/sequenciou, do jeitinho que você imaginou.
Então comecei a compor algumas canções (na grande maioria com sentido espiritual não vou usar o termo gospel porque gospel é um estilo). A maioria delas ainda não estão completas, faltando versos, arranjos, letra, enfim, uma bagunça. Mas acho que é assim mesmo, aos poucos vai sair alguma coisa um dia.
Bem, essa é a fase atual do meu homestudio:

Por enquanto é só uma escrivaninha com um notebook e algumas coisinhas. O projeto é o mais modesto possível, mas já dá pra brincar legal. Aí uma lista das coisas que comprei e m…

Minha querida mesa de trabalho

Oh, até que é chique, tem até dois monitores 8-)


Minha mesa de ensino, meu computador educacional, e tem algumas ferramentas pedagógicas com as quais eu faço a manutenção didática dos computadores instrutivos.