Pular para o conteúdo principal

Primeiras impressões da faculdade - comentado após dois anos



É, sou um calouro universitário agora.
Nem sou mais.
Algumas coisas são como eu imaginava. Outras não, são melhores. Outras deixam a desejar.
Não lembro mais quais são melhores. Ah, acho que era o Canal Direto. Enfim, tiraram do ar e colocaram um sistema que é bem lixo.
Enfim, já imaginava que não adiantava imaginar muito. Mas é legal.
Tem alguns momentos de não muita tristeza, sim.
A primeiríssima impressão que tive foi que é muito cansativo. Trabalhar oito horas por dia e ainda ir pra faculdade à noite cansa bastante. E não tenho tempo para mais nada. Isso que não começaram a pedir trabalhos e outras coisas. Mas, conforme o tempo está passando (já estou estudando há um pouco mais que uma semana), parece que a gente já vai pegando o ritmo.
Já se passaram dois anos e não peguei o ritmo. Mas vamos indo.
Outra impressão que talvez eu venha desmistificar mais tarde, é que o povo lá parece que pensa muito em bebida, o que eu acho chato. Talvez seja implicância de crente, eu não gosto nem do assunto "álcool" e acho ridículo as pessoas que ficam falando disso. Mas eu tenho quase certeza que ainda vou ver que são só alguns.
Na verdade são só alguns mesmo. Imagino que nos outros cursos seja mais. Eu nem gosto de ir muito no Centro de Convivência. Lá as pessoas parecem descoladas e parecem que estão em uma festinha. No meu curso, ninguém esboça um sorriso sequer.
O pessoal da minha turma parece bem legal. Às vezes conversam um pouco demais. É que tem bastante gente que veio direto do ensino médio pra faculdade, e, sem querer discriminar, tem gente que ainda não entendeu que está na faculdade. Ficam com conversinhas paralelas e não deixam a gente dormir direito prestar atenção na aula. Mas tirando isso, o pessoal em geral parece muito legal, e são bem rápidos para se entrosarem. É bom que seja assim, eu acho.
O pessoal são tudo gente boa. Desses aí que conversavam demais, a maioria desistiu, e uns foram ficando para trás em algumas disciplinas. O tamanho da turma não diminui tanto porque vai misturando com os veteranos que também ficaram para trás. É algo absolutamente normal dever disciplinas.
No mais, parece que a universidade é bem organizada.
Na verdade, não.
A gente vai assinar um contrato com cada professor, e este deve deixar claro o que é permitido em suas aulas, o que será cobrado e como serão as questões didático-pedagógicas. Sei lá o que é didático-pedagógicas, mas acho que define bem. Coisas como chegadas tardias, horário de chamada e pausa, etc.
Isso não serviu pra nada. Os professores nem respeitam. Não estão nem aí. Eu também não. Dane-se o contrato. A maioria nem imprimiu pra gente assinar. Hoje nem fazem mais.
Eu achei que iria usar notebook direto nas aulas. Na verdade eu preferiria assim (Evernote ♥), mas a maioria dos professores não... incentiva isto, mas não coíbe se for com intuito didático.
Na verdade, hoje eu gostaria de usar mais caderno e caneta. Porque as aulas que se usa computador são traumatizantes. E nem uso mais tanto o Evernote.
Ah, é. Graças a Deus estou indo de carro. Estou até levando uns amigos de carona sempre que possível, mas uma outra coisa que descobri é que o trânsito é cansativo tanto para sair mas principalmente para chegar à universidade. Normal., na verdade tem que agradecer a Deus porque eu acho que de ônibus seria pior.
É. Muito carro, muita gente, mas acostuma. Não me estresso mais e acabo chegando atrasado todo dia. 
Bem, já tenho aprendido algumas coisas, mas a disciplina mais empolgante é a de Algoritmos, tanto pelo conteúdo como pelo professor.
Até ele insinuar que eu colei em uma prova. Daí fiquei bem magoado. Mas acho que ele ainda vai ser meu orientador se resolver me responder no e-mail.
Mas todas as disciplinas são legais, eu acho.
Não. Não como poderiam ser.
Espero não vir a me contradizer nisto.
As coisas mudam, não é mesmo?
Não sei como fazer um parágrafo para concluir.
Sim, eu sei.
Os professores não sabem dar aula. A maioria tem a educação como um "bico" e não dão a mínima para o aprendizado dos alunos. A coordenação funcionava até reduzirem a carga horária pela metade. O valor da mensalidade subiu absurdamente. Os professores não sabem dar aula. Eu nunca entendia aquele povo que desistia da faculdade quando já estava quase terminando. Agora eu entendo. Entendo também quem se forma e acaba trabalhando em outra área. Isso porque, quanto mais você se decepciona com os professores, acaba detestando as disciplinas, e detestando as disciplinas, acaba ceifando os próprios talentos que poderiam dar frutos. Poderia levar para sempre amizades com colegas que são, de fato, legais, mas no dia-a-dia estou com preguiça de esboçar um sorriso sequer. A gente vai pra aula e perde muito tempo, dinheiro e energia e no final da noite sai com a impressão de que só cansou e não aprendeu nada de realmente valioso. O curso não entrega o que cobra. Eu já falei que os professores não sabem dar aula?
♪ Are you sure... You wanna hear more... ♫
Essa música é um lixo.

Comentários

  1. "Até ele insinuar que eu colei em uma prova. Daí fiquei bem magoado. Mas acho que ele ainda vai ser meu orientador se resolver me responder no e-mail." kkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha do livro O Peregrino

John Bunyan, autor de “O Peregrino” (“The Pilgrim Progress”), nascido na Inglaterra Central em uma família de funileiros, viveu uma época de intensas discussões acerca do Cristianismo, devido a reforma protestante. Em 1675, preso em uma cela por conduzir cultos sem autorização, escreveu este livro, que é considerado o segundo livro mais vendido no ocidente, sendo o primeiro a Bíblia Sagrada.

Segundo o autor, através de sonhos lhe foi revelada esta narrativa, a qual testifica ser revelada por Deus. Em uma liguagem bastante simples, o livro conta a história de Cristão. Este homem, vestido de trapos e carregando um enorme fardo, o qual adquiriu através da leitura de um livro (referência à Bíblia), decide iniciar uma longa viagem rumo à Cidade Celestial, com o objetivo de salvar-se do julgamento e da destruição que estariam por vir em sua cidade, a Cidade da Destruição.

Durante sua jornada, Cristão passa por muitos caminhos difíceis, como o Pântano da Desconfiança, o Desfiladeiro da Dificul…

Meu home studio

Um outro sonho que eu tenho realizado aos poucos é o de montar meu próprio estúdio em casa. Toco teclado desde os... dez anos? Sei lá, nem lembro mais. Eu sei que pelo tempo poderia ser bem melhor. Enfim, nunca priorizei e nem pretendo priorizar o estudo de música. Mas quando comecei a aprender um pouquinho de produção musical arranjamento (por conta mesmo), gostei mais ainda. É muito bom poder ouvir algo que você mesmo gravou/sequenciou, do jeitinho que você imaginou.
Então comecei a compor algumas canções (na grande maioria com sentido espiritual não vou usar o termo gospel porque gospel é um estilo). A maioria delas ainda não estão completas, faltando versos, arranjos, letra, enfim, uma bagunça. Mas acho que é assim mesmo, aos poucos vai sair alguma coisa um dia.
Bem, essa é a fase atual do meu homestudio:

Por enquanto é só uma escrivaninha com um notebook e algumas coisinhas. O projeto é o mais modesto possível, mas já dá pra brincar legal. Aí uma lista das coisas que comprei e m…

Minha querida mesa de trabalho

Oh, até que é chique, tem até dois monitores 8-)


Minha mesa de ensino, meu computador educacional, e tem algumas ferramentas pedagógicas com as quais eu faço a manutenção didática dos computadores instrutivos.