Pular para o conteúdo principal

No-Poo

Este post pode parecer gay. E, não, eu não sou vaidoso.

Já faz quase três meses que não uso mais xampu.
Depois que li este artigo fiquei curioso para saber se realmente eu poderia simplesmente deixar de usar o xampu na limpeza dos cabelos e passar a utilizar um pouco de bicarbonato de sódio e vinagre de maçã (blargh!).

Comecei a fazê-lo e depois de quase três meses posso dizer que... dá na mesma, então a ideia é bacana.

Pelo que eu pesquisei na internet, o xampu convencional "vicia" o cabelo, pois inibe o couro cabeludo de produzir óleos. Puxa, esses óleos são essenciais para a proteção do próprio cabelo, eles são do bem e não cheiram mal. Então nesse caso você passa a depender do xampu para a proteção. Ou, melhor, citando o artigo do Wikihow:
O xampu remove os óleos que previnem o acúmulo de sujeira, deixando seu cabelo seco. Quando seu cabelo tenta recuperar esses óleos, ele faz uma recompensa exagerada e fica oleoso.
O xampu é uma invenção recente, se pararmos para um breve momento de filosofia. Então partimos do ponto que só é necessário água para limpar os cabelos. Deus fez tudo certo já, (viva o criacionismo!) pois os nossos couros cabeludos já possuem tudo o que é necessário para a sua manutenção, digamos assim.

O bicarbonato de sódio faz uma limpeza profunda nos cabelos. Ouvi falar que ele também é bom para limpar os dentes. E o vinagre de maçã é para remover o excesso de óleo do cabelo. Sim, pois já que nossos cabelos devem estar "viciados" com o xampu, o couro cabeludo procura compensar produzindo bastante óleo.

Apesar do vinagre de maçã (blargh!) ser uma coisa nojenta, o cabelo não fica fedendo vinagre se você enxaguar bem. E tem gente que mistura uma essência pra ficar cheiroso. Pelo jeito, além de limpar janelas, o vinagre serve para algo mais, menos temperar salada!

Isso me lembra aquela experiência do vulcãozinho que você mistura um no outro e sai aquela espuminha, e você explica que é uma... já esqueci. Mas no  caso, você não precisa misturar os dois, não.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha do livro O Peregrino

John Bunyan, autor de “O Peregrino” (“The Pilgrim Progress”), nascido na Inglaterra Central em uma família de funileiros, viveu uma época de intensas discussões acerca do Cristianismo, devido a reforma protestante. Em 1675, preso em uma cela por conduzir cultos sem autorização, escreveu este livro, que é considerado o segundo livro mais vendido no ocidente, sendo o primeiro a Bíblia Sagrada.

Segundo o autor, através de sonhos lhe foi revelada esta narrativa, a qual testifica ser revelada por Deus. Em uma liguagem bastante simples, o livro conta a história de Cristão. Este homem, vestido de trapos e carregando um enorme fardo, o qual adquiriu através da leitura de um livro (referência à Bíblia), decide iniciar uma longa viagem rumo à Cidade Celestial, com o objetivo de salvar-se do julgamento e da destruição que estariam por vir em sua cidade, a Cidade da Destruição.

Durante sua jornada, Cristão passa por muitos caminhos difíceis, como o Pântano da Desconfiança, o Desfiladeiro da Dificul…

Correio Lageano andou assistindo meu poop video do João Amorim

Estava fazendo uma pesquisa para ver se meu primeiro e único poop no Youtube estava famoso mesmo. O vídeo se chama YTPBR João Amorim - Jango Bocha. Só que o nome do filme original é Jango Bravo.
Qual não foi minha surpresa, quando encontro, entre os resultados, uma página que faz uma espécie de homenagem ao mestre do cinema regional, e, na filmografia do cineasta, o filme "Jango Bocha". Só que este é o nome do meu vídeo, não o filme original (que se chama Jango Bravo). Hahahaha... Que massa.

Não haveria outra forma deles se confundirem. Com certeza andaram vendo meu vídeo...

Parece que o meu vídeo está ficando famoso. Além de que, já alguns fãs e poopers pediram para eu postar o filme original algumas vezes.

Obs.: O poop não ficou bom. Enfim, só existe este com este filme.



Matéria do CL (por Suzani Rovaris): http://www.clmais.com.br/variedades/64224/lenda-do-cinema-catarinense-transforma-cotidiano-em-filme



Bem, como eu já havia dito uma vez, Youtube Poop é cultura!

Minha querida mesa de trabalho

Oh, até que é chique, tem até dois monitores 8-)


Minha mesa de ensino, meu computador educacional, e tem algumas ferramentas pedagógicas com as quais eu faço a manutenção didática dos computadores instrutivos.